Caspa, um problema cosmético ou doença?

Os recém-nascidos apresentam nas primeiras semanas de vida um equivalente da caspa conhecido como crosta láctea, que é representado por escamas de tonalidade amarelada.

Este quando regride espontaneamente, não necessitando tratamento.

Exceto em casos mais prolongados.

A caspa é uma aderência das células mortas da pele (queratina) associada ao excesso de oleosidade presente no couro cabeludo, tendo início geralmente na puberdade com a crescente atividade das glândulas sebáceas. Em casos mais raros as escamas das de aspecto farináceo (caspa seca) embora sejam tão embaraçosas quanto as mais aderentes. Ambas as formas podem causar coceira e desconforto com maior ou menor intensidade.

O grande problema da caspa é o de ser confundido com outras doenças de pele tais como a dermatite seborreica ou psoríase.

Entretanto, um dermatologista experiente poderá identificar pelo exame completo da pele essas outras possibilidades.

A verdadeira caspa, embora seja de caráter permanente, pode ser perfeitamente controlada por shampoos medicinais ou fórmulas de loções associadas a medidas de higiene recomendadas aos pacientes afetados.

Procure sempre o seu dermatologista e evite a automedicação.

Dr Manoel Sternick

Dermatologista


Publicado por: Clínica Sternick
Dermatologia com ciência e tecnologia para diagnósticos e tratamentos da pele, cirurgias plásticas e procedimentos estéticos.

Artigos recentes